Política

Vereadores de Mirassol aprovaram a contratação de 10 assessores a R$ 4,1 mil cada

Sessão foi nesta segunda-feira (18); aprovação foi por 7 votos a 2

 

Os vereadores de Mirassol aprovaram por 7 votos a 2 na sessão desta segunda-feira (18) Projeto de Resolução que cria 10 cargos de assessores parlamentares comissionados (de livre nomeação), com salário mensal de R$ 4.100,00.

O Projeto foi apresentado no dia do apagão das plataformas do Facebook, Instagram e WhatsApp e praticamente não houve repercussão. Tramitou na Casa também um Projeto que aumenta o salário do prefeito e do vice em 16%. Para o salário dos vereadores o holerite passa de R$ 3,6 mil para R$ 4,1 mil. O do presidente tem verba de representação e salta dos R$ 4,5 mil para R$ 5,2 mil. O texto está com o prefeito Edson Ermegildo. Ele também retém o pagamento de férias e 13º salário.              

Segundo o vereador, Nando Nogueira, apenas o gabinete do presidente da casa está autorizado a contratar assessores. São dois. Um assessor jurídico. A falta de funcionários dificulta o trabalho de todos os vereadores. “O único que tem regalia aqui na Casa é o presidente da casa". 

O vereador Capitão Kuni também falou que a falta de servidores atrapalha a atividade. O parlamentar falou em tom de desabafo sobre as críticas que recebeu. "Eu fui chamado de decepção. Hoje a gente não tem uma assessoria, um simples notbook”

A mesma defesa foi feita por Professor Júlio Salomão. O parlamentar disse que também foi alvo de críticas da população por ter votado favorável ao reajuste salarial de cargos do Executivo e Legislativo e também ressaltou a falta de auxiliares na Câmara. 

Mesmo sem obrigação ao voto neste tipo de proposta, o presidente, Caco Navarrete, lembrou que foi assinado um termo de ajustamento de conduta junto ao Ministério Público que impede a contratação de servidores. “Tem um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MP que impede a contratação”, disse.

Por Rubens Celso Cri em 18/10/2021 22:00