Política

Confira os bastidores da política desta sexta-feira, dia 26 de novembro

O jornalista Rubens Celso Cri traz na coluna Giro Político as principais notícias da política

Muito feio

Ao afirmar que a ex-diretora da TV Câmara, Thais Machado, ao fazer reivindicações, estava criando problemas por ser mulher, o diretor geral da Câmara, Jorge Gimenez, falava para um grupo de 14 homens e outros 3 sapos de fora. A Câmara tem duas vereadoras e outros 15 homens que dizem defender as mulheres.

Vai e vem 

A família de Jorge Gimenez não mora em Rio Preto. Motivo pelo qual ele passa parte do tempo viajando. Numa delas, se ausentou 10 dias. As saidinhas seriam frequentes. Ele comunica o Departamento Pessoal e as faltas são descontadas do salário.

O dono

Segundo alguns funcionários, ele é “queixo duro” e só responde “é assim que eu quero” e “é assim que vai ser”. Ele teria tido problema com o pessoal da Diretoria Financeira. Funcionários reclamam da sua crueza. Outros dizem que são grosserias, mesmo.

Carestia

A Câmara vive à pão e água. Está proibido comprar um clipe. No desespero, só licitação. O dinheiro do ano acabou antes do tempo. Apenas o vereador Júlio Donizete trocou a placa de aço da mesa 3 vezes. Cabo Júlio, Júlio Donizete, Cabo Júlio Donizete. Oura discussão importante é sobre as mesas: redondas ou quadradas?

Ensaboado, passou pelo buraco d’agulha

Previdente (político), Edinho tratou de evitar uma saia justa. Na última sexta-feira, antes de se dirigir a cerimônia com Rodrigo Garcia, PSDB, e com o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, ele foi ao Sesi cumprimentar Paulo Skaf, integrante de seu partido e presidente da Federação das Indústrias do Estado. Skaf veio batizar a escola Sesi Waldemar Verdi Júnior e aproveitou para fazer política.

“Tudo dominado”

Mesmo tergiversando, evitando firmar compromissos publicamente, o discurso feito por Edinho na cerimônia com Garcia, deixa claro com quem ele vai estar na eleição de 2022. Edinho, Garcia e o presidente do Tribunal de Justiça do Estado inauguraram a Vara da Mulher, no Fórum. Para amenizar a ausência de Edinho, Skaf disse que não é o prefeito de Rio Preto que está com Doria ou com o PSDB, mas todo o MDB, incluindo ele. Mas não descartou uma candidatura ao governo do estado.

 De 75 sobraram 7

Além dos problemas causados pelo aplicativo que ia captar e contabilizar os votos da prévia do PSDB e definir o candidato à presidência, o partido tem outro problema em Rio Preto. O vereador João Paulo Rillo, Psol, protocolou pedido para revogar o título de cidadão honorário rio-pretense do governador João Doria, PSDB, com apoio e voto do tucano Bruno Moura, que sofre um processo interno dentro do partido, de expulsão. Em Rio Preto, 75 filiados do PSDB estavam aptos a votar nas prévias. Apenas 7 conseguiram.

O medo do João, o Doria

Rillo propõe a revogação do decreto que concedeu o Título de Cidadão Honorário Rio-Pretense ao governador João Doria, outorgado por decreto Legislativo, de 30 de agosto de 2017. Na justificativa, o vereador enumera 4 ações do governador que considera prejudiciais aos moradores mais simples. E lembrou que para ele vir a Rio Preto para uma simples visita mobilizou um aparato policial que assustou quem passou pela Alberto Andaló. Na verdade, Doria temia ser confrontado pelos defensores de medidas menos drásticas durante a pandemia.

Começo do fim

O prefeito Edinho Araújo dissolveu o Comitê de Enfrentamento à Pandemia. Embora tenha enfatizado que a pandemia não acabou e que todos os problemas ligados à pandemia serão resolvidos pela Saúde, Edinho seguiu o governador João Doria, alegando que o pior passou. O Comitê foi instalado em março de 2020 e seus integrantes estavam extenuados. Um exemplo é o próprio secretário Aldenis Borim, que demonstrou picos de esgotamento e, em alguns momentos, nervos à flor da pele.

Explicações

Treze servidores da Secretaria de Saúde são alvos de sindicância interna por se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19. O secretário da Administração, Adilson Vedroni confirmou a informação. Os processos estão em andamento, e que as justificativas que eles apresentaram para evitar a vacina, estão sendo avaliadas pelo pessoal da Saúde. Sabe-se que existe um grupo que se recusa a tomar a vacina por questões políticas. Eles podem ser demitidos.

Primeira vez

Faz décadas que a Câmara de Rio Preto instala Comissões Especiais de Investigação (CEIs, o mesmo que CPIs). Mas, nunca tinha pedido condução coercitiva de alguém que se recusava a depor. Até porque, nunca houve quem fugisse da discussão. João Paulo Rillo, Psol, foi o primeiro a pedir. O proprietário da empresa SMS Serviços de Limpeza e Obra Eireli, Sidenir Martins da Silva se recusou a depor na CEI das Terceirizadas e a Câmara solicitou à Justiça a condução coercitiva. Abriu a porteira.

Abrindo a porteira

A CEI dos Transportes, que investiga a lotação dos ônibus durante a pandemia e a prorrogação do contrato de concessão, quer ouvir uma médica infectologista ligada ao antigo Comitê de Enfrentamento da Pandemia. Ela foi convocada duas vezes e, nas duas, mandou avisar que não vai. O presidente da CEI, Robson Ricci, Republicanos, já pensa em utilizar o mesmo caminho de João Paulo Rillo.

Com tacape

O Sindicato dos Professores de Rio Preto precisa se preparar melhor para realizar algumas discussões jurídicas que envolvem a categoria. Na terça-feira (23) o vereador João Paulo provocou uma audiência entre professores que prestaram concurso e que não poderão ser convocados, e os secretários da Administração, Adilson Vedroni, e com o Procurador-Geral, Luiz Roberto Thiesi. Os dois dinossauros da Prefeitura engoliram os professores e seu advogado que, presente, não se atreveu a divergir e se calou. O sindicato tem toda razão em provocar a discussão, mas precisa ter um advogado preparado.

Pupo, o tucano

O vereador Renato Pupo, PSDB, tem se esforçado para ser um tucano de verdade. Ultimamente ele tem mudado o seu comportamento em relação ao governo municipal. Na terça-feira ele evitou a votação da convocação dos secretários da Educação, Fabiana Zanqueta, e do Secretário da Agricultura, Pedro Pezzutto, para explicarem a diminuição das merendeiras nas escolas e a proibição dos funcionários terceirizados de se alimentarem com a merenda das escolas, mesmo que sobre comida. Pupo propôs trocar a convocação na sessão por convocação na Comissão de Educação. Rillo aceitou. Ficou para o dia 7 de dezembro, após às 18h. Sempre muito educado, eventualmente ele tem uma crise de adolescente e cutuca o prefeito. É da natureza.

LOAS pós-pandemia

Foi protocolado e já recebe emendas proposta da nova Lei Orgânica da Assistência Social. Até o final desta quinta-feira (25) eram 39 emendas. A votação ainda não tem data, mas logo deve ir à Plenário.

Por Rubens Celso Cri em 26/11/2021 00:04