Redes Sociais

Política

Confira os bastidores da política desta sexta-feira, dia 5 de janeiro

Jornalista Bia Menegildo traz as principais notícias do poder regional

Publicado há

em

Porteiras abertas

Dizem que o ano só começa depois do Carnaval, mas 2024 começou em 2022. Mais especificamente no início da noite de 30 de outubro. Naquele dia, segundo turno das eleições nacionais, estavam sendo definidos os cargos de presidente e governador. Naquela altura do pleito, já tínhamos os deputados estaduais e os federais definidos. As primeiras movimentações políticas em busca de apoio começaram antes mesmo de se abrir todas as urnas, mas não sem a certeza de onde estaria o comando do país e do estado.

Sem partido

A primeira movimentação do ano aqui em Rio Preto foi do vereador Pedro Roberto. Abandonado pelo Patriota, de Ulisses Ramalho, no primeiro dia de mandato da legislatura de 2020, o parlamentar se elegeu presidente da Câmara e ficou por dois anos no cargo. A saída dele da legenda se dá antes mesmo da janela eleitoral, usando a brecha na legislação que permite a mudança de partido com base na fusão com o PTB e o nascimento do Partido Renovação Democrática (PRD). Como o comando da nova legenda continua o mesmo, Pedro Roberto se despediu “sem arrependimentos”, disse.

Destino

O destino do vereador será o partido que o apoiou quando se lançou para disputar como presidente do Legislativo, o Republicanos. Pedro Roberto corre agora para os braços de Diego Polachini, presidente municipal da legenda, e deve ser a grande promessa para a próxima eleição. O ex-Patriota deverá preencher uma das lacunas no Republicanos. Isso porque Robson Ricci e Karina Caroline já estariam de malas prontas, mas sem destino certo. Ricci está próximo do Podemos, mas disse que ainda não bateu o martelo.

Titulares

Pedro Roberto não fará falta na escalação do time de Ulisses Ramalho para a próxima disputa, segundo o próprio atual secretário de Serviços Gerais. O partido ainda conta com Bruno Moura, que é a grande aposta do PRD, e com José Lagoeiro, o Zé da Academia. A redução do quociente eleitoral, o aumento de cadeiras e nomes como Renato Silva e Luiz Guilherme prometem puxar muitos votos para a legenda, de acordo com Ramalho. Zé da Academia está esbanjando positivismo e cheio de esperanças.

E se…

Por mais que esteja empolgado e já montando um time de peso para o apoio na próxima eleição, Zé da Academia está com o pé no chão. Por telefone, o ex-vereador afirmou que está com Ulisses Ramalho e que há um acordo “muito bom”, mas não deixou de expor um “Plano B”. Segundo Zé da Academia, se aparecer um outro candidato forte para compor a chapa, o jeito vai ser abandonar o barco e buscar um novo destino. “Não tenho para onde ir, mas se o acordo não for cumprido, caio fora no último minuto”, afirmou o ex-vereador.

Mais baixas

Quem também deve deixar as fileiras do PRD é o vereador Bruno Marinho. O destino do parlamentar mais jovem da Câmara de Rio Preto será o PL, de Fábio Marcondes e quase do Coronel Fábio Cândido. “A decisão está tomada”, disse Marinho. No entanto, a mudança de legenda deverá acontecer somente dentro da chamada janela eleitoral. Marinho disse que, por ter um bom relacionamento com Ulisses Ramalho, não tem pressa de deixar o partido e pretende cumprir os compromissos outrora assumidos.

Apoio declarado

A movimentação do recém-nascido PRD não fica só na montagem de chapa para disputa de vereador no partido. Ulisses Ramalho está muito próximo do Avante e do Podemos, principalmente depois de se afastar de Abner Tofanelli (PDT), cooptado pelo PSB. Isso quer dizer que, mesmo focado em seus filiados, Ramalho tem sido uma espécie de conselheiro e até ajudante na hora de distribuir filiados. O presidente municipal do PRD já declarou apoio a uma possível candidatura de Itamar Borges (MDB) a prefeito.

Clima amistoso

O clima entre o MDB e o PRD, por mais que tenha ficado fechado por diversas vezes nos últimos anos, parece estar bom agora. Ulisses Ramalho disse que há um plano do partido e por isso não vai mudar o apoio ao MDB. Para dar credibilidade à afirmação, Ramalho disse que fez um levantamento informal e descobriu que Itamar Borges “já distribuiu mais de 350 mil beijos”. O secretário, que está em quase todos os eventos ao lado de Itamar Borges, ainda completou dizendo que “agora só falta isso virar votos”.

Em cima do muro

Além de Pedro Roberto, o Republicanos pode ser o destino de outro vereador. Celso Peixão (MDB) já anunciou, por diversas vezes, que iria para a legenda de Polachini, mas ainda não decidiu se vai mesmo. O parlamentar, que está no partido de Itamar Borges, estuda pender para o lado da “pré-candidatíssima” Helena Reis. Porém, Peixão ainda está na dúvida se a atual secretária estadual de Esportes vai mesmo disputar as eleições municipais e sente que pode ter problemas de relacionamento na nova legenda. “Aquele menino é muito difícil”, disse o vereador ao se referir a Polachini.

Prematuro

Helena Reis não terá o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nas próximas eleições e terá que correr atrás do apoio do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos). A secretária afirma que disputar a Prefeitura de Rio Preto é um plano antigo com uma estratégia que vem sendo construída há anos, mas que ainda não conversou com Tarcísio para definir se vai mesmo. Por outro lado, dizem que Valdomiro Lopes (PSB) já estaria costurando este apoio do governador e tem tudo para colocar Helena Reis no bolso.

Corda bamba

Como deputado estadual, Valdomiro Lopes segue usando e abusando das redes sociais. Ele está com um grupo montado e lança vídeos novos quase toda semana. Entre os assuntos, o foco do parlamentar é quase sempre a Prefeitura de Rio Preto. Há quem diga que Valdomiro não sai candidato a prefeito pelo PSB. Porém, há quem garanta que, mesmo se ele se desfiliar e perder o mandato de deputado, estará com uma eleição praticamente ganha. É consenso apenas que Rio Preto terá segundo turno. Resta saber quem estará na disputa.

Propaganda eleitoral

Um vídeo antigo voltou a circular nas redes sociais e pode ser o primeiro caso de propaganda eleitoral negativa antecipada. Apesar da produção ter viralizado em 2017, muita gente ainda acha que a história é recente, principalmente quem passou a se interessar por política nos últimos tempos. As imagens trazem a informação de que o deputado Itamar Borges estaria ligado a uma quadrilha internacional de narcotraficantes libaneses radicada em São Paulo. A história não prosperou na época e nada ficou provado, mas quem está publicando o vídeo pode ter problemas sérios com a Justiça Eleitoral.

Movimentações quase eleitorais

As primeiras movimentações não exatamente eleitorais já estão marcadas para o próximo dia 8 de janeiro. A data já tão conhecida dos brasileiros deverá ser lembrada nas ruas e nas redes sociais. De um lado, partidos de esquerda prometem um “ato em defesa da democracia”, mas ainda não definiram um local ou um formato. Do outro, a direita promete uma ação em “defesa da liberdade de expressão” que envolve “inundar” as redes sociais com a bandeira do país e a frase “Sou Patriota”.

AS MAIS LIDAS