Redes Sociais

Política

Vereador assina CPI das Terceirizadas e pede cancelamento em menos de meia hora

Francisco Júnior (União Brasil) alega que foi falha da assessoria

Publicado há

em

Divulgação/TV Câmara

O vereador Francisco Júnior (União Brasil) assinou o requerimento que pede a abertura de uma CPI das Terceirizadas, nesta sexta-feira (2), e pediu a retirada da assinatura menos de meia hora depois. O parlamentar justificou que a assessoria cometeu uma falha.

O requerimento foi assinado às 14h56 e o ofício pedindo a retirada da assinatura foi entregue às 15h23. “O motivo para o cancelamento se dá devido a uma falha no momento em que minha assessoria assinava digitalmente outros documentos oficiais do legislativo”, diz o ofício de Júnior encaminhado à presidência da casa.

O pedido de abertura da CPI, de autoria de João Paulo Rillo (PSOL), foi protocolado na Câmara em 5 de setembro do ano passado. Para que seja instaurada a investigação, são necessárias seis assinaturas.

Até o momento, além do próprio autor do pedido de CPI, Jorge Menezes (PSD), Pedro Roberto (Republicanos) e Renato Pupo (PSDB) já assinaram o documento. Apesar de Jean Dornelas (MDB) também ter assinado, a adesão dele ao pedido de investigação foi desconsiderada depois que o presidente Paulo Pauléra (Progressistas) aceitou a justificativa de que houve uma falha da assessoria.

Além de investigar o descumprimento das regras pela WWS Services, a proposta agora é investigar irregularidades em contratos da Prefeitura de Rio Preto com empresas terceirizadas. A proposta dos vereadores é conseguir a adesão para formalizar a comissão que pretende “investigar irregularidades em contratos com empresas terceirizadas com o município”.

Segundo o documento de Rillo, houve a necessidade de adaptação do objeto de investigação devido ao “número excessivo de contratos com empresas prestadoras de serviços terceirizados”, resultando em “quebra ou falência delas deixando enormes prejuízos aos trabalhadores e ao próprio erário”

AS MAIS LIDAS