Redes Sociais

Política

Vereador Anderson Branco propõe moção de aplauso a Elon Musk

Vereador diz que empresário teve a coragem de expor supostas tentativas de censura pelo STF.

Publicado há

em

Divulgação/TV Câmara

O vereador Anderson Branco (Novo) protocolou, na Câmara de Rio Preto, uma moção de aplauso ao empresário Elon Musk, dono da rede social X, antigo Twitter. O parlamentar afirma que o bilionário teve coragem de expor supostas tentativas de censura praticadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

No documento, Branco cita que no último dia 7 o ministro Alexandre de Moraes determinou a inclusão do empresário no inquérito de milícias digitais. A investigação apura a disseminação de supostas notícias falsas com o objetivo de atacar as instituições democráticas brasileiras.

Moraes ainda fixou multa de R$ 100 mil caso o empresário reative as contas suspensas pela Justiça, “além de deixar subentendido que a rede social pode ser suspensa em nosso país por violar a legislação e determinação judicial”, afirma Branco na moção.

Ainda de acordo com o vereador, “o empresário Elon Musk tem exposto através de atos de coragem, supostas tentativas de censura propostas em especial pelo Supremo Tribunal Federal, sendo ao que parece em tese ter objetivo único e exclusivo de coibir, calar e censurar a população”. O documento diz também que “há nitidamente uma invasão de poderes por parte do STF e do TSE [Tribunal Superior Eleitoral], tendo em vista que não se sabe mais qual a competência destes poderes para investigar e julgar a população, certo que o STF deve ser o guardião da Constituição Federal e ter competência exclusiva para tanto, contudo, em tese atualmente se envolve nas mais variadas questões, ao que parece fugir de sua competência”.

Para completar, Branco ainda diz que Moraes “parece em tese ter competência até mesmo acima de Deus” e cita o deputado Paulo Bilynskyj (PL) ao dizer que o bilionário foi corajoso “ao enfrentar a verdadeira censura instalada no Brasil”.

A moção será votada em plenário na sessão da Câmara de Rio Preto da próxima terça-feira (16).

AS MAIS LIDAS