Redes Sociais

Política

Vereadores rejeitam convocação de secretário da Saúde

edido verbal, apresentado durante a sessão, pedia que Vedroni explicasse o “Tele UPA”

Publicado há

em

Foto: Divulgação/TV Câmara

Os vereadores de Rio Preto rejeitaram, por 14 votos a dois, o requerimento de convocação do secretário de Saúde Adilson Vedroni, durante a sessão da Câmara desta terça-feira (4), para explicar o projeto experimental chamado de “Tele UPA”. O pedido foi apresentado de forma verbal pelo vereador João Paulo Rillo (PSOL) e teve o apoio de Pedro Roberto (Republicanos).

A proposta do psolista tem como base um precedente regimental que permite a apresentação de requerimento de convocação de forma verbal durante o andamento da sessão. O motivo apresentado por Rillo foi a informação divulgada pelo secretário, na semana passada, sobre o uso experimento de atendimento de pacientes considerados sem gravidade por meio da telemedicina.

Vedroni explicou, durante a audiência pública de prestação de contas da pasta do primeiro quadrimestre do ano, realizada na última quarta-feira (29), que pacientes enquadrados em atendimento “azul” ou “verde” não necessitam de atendimento emergencial e podem ser atendidos pela telemedicina. “É uma situação que permite o paciente aguardar a ligação do médico no conforto de sua casa. É um projeto que já está sendo implementado de forma experimental, ou seja, estamos vendo se conseguimos atender aos pacientes para apresentar uma proposta definitiva para o Executivo”.

Ainda de acordo com Vedroni, não há dados suficientes para determinar se o atendimento é eficiente aos pacientes. “Ainda estamos entendendo o que precisa melhorar, mas já adianto que é um projeto que precisa de dinheiro. Provavelmente teremos que abrir licitação para implementar de forma definitiva, mas isso não está em discussão neste momento. Estamos, em princípio, tentando reduzir a superlotação das UPAs. Se funcionar, vamos pensar em como implementar”, acrescentou o secretário.

Rillo chegou a defender que o objetivo era obter mais informações de Vedroni sobre o desenvolvimento do projeto. No entanto, apenas o vereador Pedro Roberto votou a favor.

Entre os que votaram contra a convocação, Celso Peixão (MDB), presidente da Comissão Permanente de Saúde da Câmara, defendeu que o secretário já comentou sobre o assunto e tirou as dúvidas durante a audiência. “Audiência é para debater o que está acontecendo na Saúde. Tem a cada quatro meses e todos os vereadores são convidados”, justificou o vereador.

Segundo os dados apresentados, as cinco UPAs de Rio Preto atenderam 794,3 mil pacientes nos quatro primeiros meses do ano, média de 3,5 mil por dia. “A demanda é muito alta, mas destaca só o negativo. Mas atendemos 3,5 mil pessoas por dia na urgência e emergência. Aumentou muito o número de doentes, questão econômica, pessoas não pagam mais plano de saúde e procuram a rede pública”, completou Vedroni.

AS MAIS LIDAS