Redes Sociais

Política

MPF investiga supostas irregularidades em Tele UPA

Sócios da empresa teriam ligações com uma profissional que presta serviços à Secretaria de Saúde

Publicado há

em

Marcos Morelli/SMCS

O Ministério Público Federal (MPF) vai investigar supostas irregularidades no contrato entre a Secretaria de Saúde de Rio Preto e a empresa Doctacare LTDA, responsável pelo sistema de funcionamento do recém-lançado ‘Tele UPA’. A denúncia, feita pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, aponta que sócios da empresa teriam ligações com uma profissional que presta serviços à Prefeitura de Rio Preto.

A solicitação foi protocolada na última terça-feira (2) e, nesta sexta-feira (5), saiu despacho do MPF, acatando uma Notícia de Fato Criminal para apuração dos fatos. Essa decisão foi encaminhada ao 5º Ofício de SJRP, sobre a titularidade do procurador Anderson Vagner Gois dos Santos.

O sindicato questiona o lançamento do novo serviço sem o aval do Conselho Municipal de Saúde (CMS) e aponta que pessoas que fazem parte do quadro associativo da empresa têm supostas ligações com uma profissional que presta serviços ao município.

Por meio de nota, a entidade afirmou que também protocolou ofícios para o prefeito Edinho Araújo (MDB) e para o secretário de Saúde, Adilson Vedroni, cobrando informações sobre o funcionamento e gastos com a Tele UPA que foi implantada em Rio Preto. “O sindicato é uma das entidades que tem assento garantido no Conselho Municipal de Saúde (CMS), o que garante nos garante como um órgão fiscalizador das ações e serviços de saúde, prestados à população. A Tele UPA foi implantado sem autorização ou conhecimento do CMS”, consta na nota.

O sindicato presidido por Sanny Lima Braga solicitou informações sobre a estrutura da empresa, o número de atendimentos mensais e o valor gasto com o serviço de telemedicina e do Tele UPA, além de pedir o detalhamento dos gastos com publicidade da Secretaria de Saúde desde 2022.

Procurada, a Secretaria de Saúde emitiu nota dizendo que “prestará os devidos esclarecimentos quando notificada pelo MPF”.

AS MAIS LIDAS