Saúde

Famerp dá início a testes com vacina contra a Covid-19

Enfermeira do Hospital de Base foi a primeira voluntária. Todos serão acompanhados por 12 meses

Hoje pela manhã a primeira voluntária, em Rio Preto, tomou a vacina que está sendo testada contra o novo Coronavírus. A enfermeira do setor de urgência respiratória do Hospital de Base, Vanessa Maziero, de 30 anos, disse que é sua contribuição como profissional da saúde e como ser humano colaborar com o desenvolvimento desta vacina. Ela ainda ressalta que a parte mais difícil, é que como trabalha na área da saúde, ela está afastada da família e a saudade é grande.

A vacina é intramuscular e segundo Maziero não causa dor. “É somente a picada de uma vacina normal”, disse ela.

Vanessa é uma das mais de 400 pessoas que foram aceitos para participarem do processo de testes da vacina Coronavac em Rio Preto. Apenas profissionais de saúde que trabalham diretamente com pacientes de Covid-19 podem participar dos testes. Outros profissionais serão vacinados ao longo das próximas semanas.

A vacina é dividida em duas doses. A primeira foi aplicada hoje e a segunda só será aplicada após 15 dias da primeira. Todos que tomarem a vacina têm que ficar pelo menos uma hora no local para que seja feita a verificação de possíveis reações imediatas.

O virologista Maurício Lacerda, coordenador da pesquisa em Rio Preto, está otimista. Ele acredita que ela vai dar a resposta imunológica necessária para ser colocada no mercado. Ele acredita que isso aconteça em até 12 meses.

Ao todo, 12 núcleos científicos foram selecionados para a realização da terceira e última fase de ensaios clínicos do imunizante que é desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa SinovacLife Science.

Na quarta-feira (5), as vacinas foram aplicadas em profissionais da saúde na Universidade de Brasília (UnB) e, ontem (06), no Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas (SP). Hoje (07), as ações serão iniciadas no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (SP). Amanhã (08), será vez do Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

O governador João Dória disse que “mais cinco centros de pesquisa iniciam testes da vacina CoronaVac. Chegamos, assim, a 10 centros e em breve serão 12 no total. A testagem, coordenada pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, deve ser concluída até novembro com cerca de 9 mil voluntários”.

O secretário de saúde de Rio Preto, Aldenis Borin, enfatizou a importância do desenvolvimento da vacina e que Rio Preto tem um orgulho enorme em participar deste processo.

O anestesista João Paulo Casella, de 41 anos é outro voluntário. Ele disse que está feliz em contribuir com este processo do estudo. Relatou também que trabalha numa área complicada, já que faz a intubação de três ou mais pacientes todos os dias. E que poder contribuir com a ciência é muito bom.

Sobre os testes

É importante ressaltar que dos quase nove mil voluntários, todos da área da saúde, metade vai receber doses da vacina, a outra metade apenas um placebo, ou seja, uma substância com as mesmas características, mas sem os vírus, sem efeito. Todos serão monitoradas pelos centros de pesquisa por meio de exames entre aqueles que tiverem sintomas compatíveis à Covid-19. Assim, poderá ser verificado posteriormente se quem tomou a vacina ficou de fato protegido em comparação a quem tomou o placebo.

Depois de comprovadas a eficácia e a segurança nesta última fase de estudos clínicos, a vacina segue para registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Sinovac e o Butantan vão firmar acordo de transferência de tecnologia para produção em escala e fornecimento gratuito pelo SUS.

Abaixo, a relação dos 12 centros de estudo que vão participar da fase final de pesquisa da vacina contra o coronavírus:

Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto

Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Universidade Federal de Minas Gerais

Hospital Israelita Albert Einstein

Hospital das Clínicas da Unicamp

Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto

Universidade de Brasília

Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas de Fiocruz (RJ)

Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul

Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná

Por Fabrício Santana em 07/08/2020 11:34