Saúde

Campanha de vacinação contra a Covid-19 em Rio Preto começa na próxima terça (19)

Plano Municipal de Imunização 2021 foi divulgado na tarde desta quinta-feira (14) pela Secretaria de Saúde. Idosos e trabalhadores da saúde, que fazem parte do primeiro grupo de vacinação, devem começar a ser vacinados na próxima quarta-feira (20). Segunda dose estará disponível no final de março e início de abril

Trabalhadores da saúde e idosos começarão a ser vacinados com a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Rio Preto na próxima quarta-feira (20). As doses deverão chegar no município na terça-feira, dia 19. A segunda dose estará disponível entre o final de março e início de abril. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde durante a divulgação do Plano Municipal de Imunização 2021, realizada na tarde desta quinta-feira (14). Participaram do evento o secretário de Saúde Aldenis Borim, a gerente de imunização Michela Barcelos e o virologista da Famerp, Maurício Lacerda Nogueira, que coordena os estudos da Coronavac no município.

O município vai seguir os protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde. Em Rio Preto, segundo a pasta, 60 mil pessoas são idosas. Destas, 16 mil são maiores de 75 anos. De acordo com a gerente de imunização, Michela Barcelos, este é o maior grupo com registro de mortes e contaminações no município.

A Secretaria de Saúde analisou que a maior parte de pessoas desta faixa etária está concentrada na área central do município e na região do Hospital de Base, ao redor dos bairros Estoril e São Francisco.

Durante a primeira fase da campanha, os trabalhadores de Saúde serão vacinados dentro do estabelecimento em que trabalham. Trabalhadores de clínicas e consultórios menores deverão se deslocar aos hospitais e postos de saúde.

Em Rio Preto, 12 mil trabalhadores deverão ser vacinados no local de trabalho, sendo três mil na rede de saúde municipal e outros 7 mil em postos de vacinação. Estima-se que mais de 20 mil trabalhadores da saúde atuam na cidade.

“Essa campanha é desafiadora porque é a primeira campanha com sistema de informação nominal – todas as pessoas terão que ser identificadas dentro da base de dados do Ministério da Saúde. Isso é importante por questões de rastreabilidade”, explicou Michele.

De acordo com a gerente de imunização, a campanha será feita com sistema nominal porque as vacinas contra a Covid-19 requerem esquema de multidoses. Ou seja, será necessário que o cidadão receba a segunda dose no mesmo laboratório onde tomou a primeira.

“O aplicativo do Ministério da Saúde não será uma exigência para se vacinar. Mas é importante que todas as pessoas tenham o cartão nacional do SUS e o número do CPF no momento em que for tomar a vacina. Só serão aceitas as vacinas que serão registradas nesse universo de saúde”, ressaltou.

A comunicação também será um tópico essencial na campanha. A Secretaria de Saúde vai utilizar todos os canais de comunicação da Prefeitura e divulgação da imprensa para informar a população.

“Não é momento de pessoas que não estão no público inicial ir nos postos de saúde – seguirá o protocolo”, afirmou.

Insumos

Os insumos usados na campanha, como seringas e agulhas, serão fornecidos pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Entre novembro e dezembro de 2019, Rio Preto recebeu 198 mil seringas e 217 mil agulhas. Outras 727 mil seringas e 471 mil agulhas estão previstas por meio de transportadoras. O município também conta com 10 câmaras de vacinas de 400 litros.

Local

Ainda de acordo com a Saúde, a estrutura de vacinação do Plano de Imunização 2021 já está montada. Os trabalhadores da área serão vacinados no local de trabalho durante o horário de expediente. Os idosos contarão com postos volantes, pontos de vacinação fixos e exclusivos para Covid-19 nas unidades e postos de saúde, além do sistema de drive-thru, que teve aprovação excelente da população durante a campanha da vacina da gripe. A ação vai ocorrer no Recinto de Exposições.

Controvérsias

O virologista da Famerp, Maurício Lacerda Nogueira, que coordena as pesquisas da fase 3 da Coronavac em Rio Preto, esclareceu as controvérsias apresentadas nas redes sociais em torno da imunização da vacina.

“Os resultados querem dizer que, se você for exposto ao coronavírus, você tem 50% de chances de não ter a doença ou 50% chances de ter uma doença muito leve. 77% de chance de proteção de ter uma doença leve e 100% contra casos graves ou moderados que necessitem de hospitalização ou UTI. É falsa a informação de quem só 50% das pessoas estão protegidas”, explicou.

“Deve salientar a segurança dessa vacina. Nenhum dos 12 mil voluntários teve episódio grave de efeito colateral. Apenas dor no local da injeção e febre por cerca de 20% e mal-estar, fenômeno comum em qualquer vacinação. Essa é uma vacina segura e eficaz que pode e vai nos ajudar a ver a saída dessa pandemia que estamos vivendo”, ressaltou Nogueira.

Por Karol Granchi em 14/01/2021 16:49