Saúde

80% dos idosos são internados após queda, afirma ortogeriatria do HB

Nesta quinta-feira, 24, é celebrado o dia Mundial da Conscientização da Prevenção de Quedas

A alta incidência de pacientes idosos recebidos no setor de Ortogeriatria do Hospital de Base (HB) da Fundação Faculdade Regional de Medicina de Rio Preto, Funfarme, decorrente de quedas, somada aos preocupantes índices nacionais e internacionais relacionados ao problema, fizeram com que a equipe do setor no hospital preparasse uma semana com programação educativa e de conscientização do tema.

De acordo com a médica especialista do HB, Dra. Laura Cardoso, “mais de 80% das internações em nossa ala, hoje, de pessoas com mais de 65 anos, são em decorrência de uma queda. Se isso acontece com um idoso acima de 85 anos, a chance deste paciente morrer é de uma em cada cinco, de acordo com estudos”, afirma a médica.
 

Nesta quinta-feira, 24, é celebrado o dia Mundial da Conscientização da Prevenção de Quedas.

“Para comemorar a data e reiterar a importância de se evitar este tipo de acidente com as pessoas mais velhas, faremos um teatro com os pacientes do ambulatório, ofereceremos aula de nutrição aos pacientes e de orientações aos multiprofissionais, além de distribuirmos, na instituição, uma cartilha de prevenção destes acidentes. Assim, trabalharemos a conscientização com todos os grupos de sociedade, sempre com o intuito de evitar sequelas graves ou, até mesmo, a morte”, explica Dra. Laura.

Ainda de acordo com ela, a importância está justamente na prevenção, já que “há um impacto psicológico e social atrelado à queda. A perda ou dificuldade de mobilidade e a dependência de outros causa depressão neste grupo. Então, a mortalidade não vem só das consequências físicas das fraturas de quadril, perna, ombro, coluna e etc., mas também da perda do convívio social e da qualidade de vida. Afeta ao idoso e a todos sua família. Existem adaptações e modificações simples que podem ser feitas na casa [lugar onde principalmente ocorrem os problemas] e no cotidiano, pode-se evitar a queda e todas as outras decorrências dela”, pontua a médica.

Como prevenir
As medidas de prevenção em domicílio são simples e começa por se identificar os riscos.
Os principais fatores são a idade avançada, o sexo feminino e quedas prévias.
Os fatores externos são a iluminação do lugar, piso escorregadio ou molhado, escadas, obstáculos nos caminhos e banheiro sem barra de proteção, por exemplo.
Além disso, é necessário adaptar o ambiente onde o idoso vive. Entre eles estão a retirada de tapetes e objetos espalhados pela casa, iluminação dos lugares, evitando-se andar no escuro mesmo que se conheça o caminho, e a instalação de corrimãos.
O uso do sapato ideal também é fundamental. Por exemplo, dê preferência aos que prendem no calcanhar e devidamente no pé e evite o uso de chinelos.
“Não podemos deixar de ressaltar a importância do uso de dispositivo adequado para a locomoção (bengalas, andadores e etc), a suplementação de vitamina D quando baixa, tratamento da osteoporose e de outras doenças metabólicas relacionado com o metabolismo ósseo”, ressalta Dra. Laura.

Dados
Em torno de 27% das pessoas acima de 65 anos na comunidade caem pelo menos uma vez no ano e isso aumenta para cerca de 50% nos pacientes acima de 80 e após os 85 anos de idade, estima-se que, a cada 5 quedas, uma leve à morte;
De 5-10% das quedas resultam em lesões graves e é a principal causa de fratura de quadril no idoso;
25-75% das pessoas que fraturam o quadril não recuperam a sua funcionalidade prévia e, com isso, cerca de 30% são institucionalizados;
Aqueles com histórico de queda apresentam risco mais elevado, entre 60 e 70%, para cair novamente, no ano subsequente. A perda de confiança na capacidade de deambular com segurança pode resultar em piora do declínio funcional, depressão, baixa autoestima e isolamento social;
Estas e outras informações simples podem ser encontradas na cartilha que será distribuída nas ações.

HB Amigo do Idoso
Desde 2017, o HB conta com a certificação “Selo Hospital Amigo do Idoso”, que legitima o compromisso do hospital com o desenvolvimento de ações e melhorias ainda mais amplas na assistência ao idoso. A prevenção de quedas é uma delas.
Além disso, a instituição dese.
• Implementação do diagnóstico com os idosos que frequentam o Hospital, seus cuidadores e profissionais (roteiros de entrevista e grupos focais padronizados);
• Levantamento das ações já realizadas pelo Hospital, com foco nos idosos;
• Inserção das ações voltadas ao idoso no plano/planejamento do Hospital;
• Elaboração do plano de acessibilidade com foco nas necessidades dos idosos;
• Elaboração estratégica de educação permanente em envelhecimento e saúde do idoso para toda a equipe;
• Identificação e inclusão das necessidades dos idoso nas ações de humanização;
•  Aprimoramento das boas práticas na assistência , priorizando os aspectos de segurança e conforto necessário ao atendimento da população idosa.

Por Da Redação em 23/06/2021 16:36