Saúde

Hospital de Campanha e UPA de Votuporanga atingem 100% de ocupação

Na segunda-feira (26), entrou em vigor o decreto n° 13.409 que prevê restrições além das previstas pelo Plano São Paulo de Flexibilização, como o toque de recolher a partir das 19 horas

Na última segunda-feira (21), o Hospital de Campanha de Votuporanga e a UPA 24 horas (Ambulatório de Atendimento Covid-19), atingiram a marca de 100% de leitos ocupados.

No Hospital de Campanha, 23 votuporanguenses estão internados, sendo que 15 pacientes estão fazendo uso de ventilação mecânica e os outros oito, de oxigênio. Já na UPA, os 12 leitos estão ocupados por pessoas que fazem uso de oxigênio.

"Esses leitos são de extrema importância, porque são 35 pessoas que estão sendo atendidas enquanto aguardam leitos em hospitais da grande São Paulo, já que não há leitos no interior do estado. Mas, caso alguém precisar, não teremos como acolher, já que não há equipe de profissionais e também estrutura. O Poder Público tem feito a sua parte, mas precisamos da colaboração de todos", destacou Ivonete Félix do Nascimento, secretária da Saúde de Votuporanga.

Votuporanga é um dos únicos municípios paulistas a oferecer uma estrutura como o Hospital de Campanha, com 23 leitos de suporte respiratório, além de hemodiálise. Recentemente, o prefeito Jorge Seba determinou a prorrogação do atendimento, que seguiria até julho. O investimento será com recursos próprios e também deve contar com apoio do governo estadual.

O aumento de casos e a falta de leitos é uma realidade regional. Na última semana, o Departamento Regional de Saúde alertou os prefeitos de 17 municípios da região, que só há leitos disponíveis na grande São Paulo, tanto para enfermaria quanto para UTI.

Em Votuporanga, a fiscalização está intensificada com o apoio de policiais militares e agentes das Vigilâncias Sanitária e Epidemiológica, além do setor de Fiscalização da Prefeitura. Na segunda-feira (26), entrou em vigor o decreto n° 13.409 que prevê restrições além das previstas pelo Plano São Paulo de Flexibilização, como o toque de recolher a partir das 19 horas.

Além de proibir aglomeração, festas ou eventos com qualquer finalidade, incluindo reuniões e festas particulares em buffets, salões, áreas de lazer, chácaras e condomínios, o novo decreto também proíbe consumo de alimentos e bebidas nas feiras livres e determina o horário de realização destas das 12h às 18h, de segunda a sexta-feira, e das 06h às 13h, aos sábados e domingos.

Desde segunda-feira também está proibida a entrada de crianças menores de 12 anos em estabelecimentos comerciais, bancos, casas lotéricas, cinemas, bares, restaurantes e lanchonetes. Também ficam proibidas as apresentações com som ao vivo em bares, restaurantes, festas particulares e similares; e a utilização de equipamentos de uso coletivo, tais como, bancos, brinquedos de parques infantis e de feiras livres, espaço kids, academias ao ar livre e outras estruturas em espaços públicos e privados.

 

Por Da Redação em 23/06/2021 10:29