Redes Sociais

Saúde

Ministério da Saúde vai monitorar casos ainda não esclarecidos de hepatite aguda

Iniciativa vai apoiar a definição de orientações para prevenção e controle da doença no Brasil

Publicado há

em

Ministério da Saúde instalou na última sexta-feira (13) uma Sala de Situação para monitorar e acompanhar os casos de hepatite aguda de causa a esclarecer. A iniciativa tem como objetivo apoiar a investigação de casos da doença notificados em todo Brasil, bem como o levantamento de evidências para identificar possíveis causas.

No levantamento realizado pela Secretaria de Vigilância em Saúde da pasta, divulgado na tarde deste sábado (14), 47 casos da doença foram notificados no país. Desses, três foram descartados e os demais permanecem em monitoramento. Dos casos em monitoramento, 14 são no Estado de São Paulo, que está no topo do ranking. 

A sala, que vai funcionar todos os dias da semana, conta com a participação de técnicos do Ministério, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), além de especialistas convidados.

“A criação dessa sala de situação é muito importante para monitoramento constante e direcionamento das decisões e ações de forma rápida, coordenada e oportuna”, informou o secretário de Vigilância em Saúde substituto do Ministério da Saúde, Gerson Pereira.

Os casos de hepatite de etiologia a esclarecer foram relatados pela primeira vez no Reino Unido, quando foram detectadas taxas mais altas de hepatite aguda do que o habitual. Por se tratar de uma doença ainda de causa desconhecida, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem monitorado o aumento repentino de casos entre crianças e adolescentes. A prioridade é determinar a etiologia desses casos para orientar ações futuras.

Além de monitoramento, a sala vai padronizar as informações e orientar os fluxos de notificação e investigação dos casos para todos as secretarias estaduais e municipais de saúde, bem como para os Laboratórios Centrais e de Referência de Saúde Pública. O objetivo também é contribuir para o esforço internacional na busca de identificação do agente etiológico responsável pela ocorrência da hepatite aguda de causa ainda desconhecida.

Desde os primeiros relatos de casos, o Ministério da Saúde tem atuado emitindo comunicado de risco para a Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (RENAVEH) e para os Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), orientando a notificação imediata de possíveis caso, conforme a Portaria GM/MS nº 420, de 2 de março de 2022.

Colaboração internacional

No último dia 10 de maio, o Ministério da Saúde participou de reunião com grupo de especialista junto à OMS e com representantes de oito países (Reino Unido, Espanha, EUA, Canadá, França, Portugal, Colômbia e Argentina) nas áreas técnicas de emergências em saúde pública, infectologia, pediatria e epidemiologia para discutir as evidências disponíveis, até o momento.

No último dia 9, a pasta publicou a nota técnica de n°13/2022, com orientação para secretarias estaduais e municipais de saúde sobre a notificação, investigação e fluxo laboratorial de casos prováveis de hepatite aguda de etiologia desconhecida em crianças e adolescentes. Como as evidências sobre essa doença ainda são muito dinâmicas, a sala de situação irá atualizar periodicamente as orientações.

Continue lendo

AS 10 MAIS LIDAS