GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Reforma do Mercadão Municipal deve ficar para o ano que vem

Edital de concorrência pública precisa ser publicado ainda e só depois de 120 dias será concluído. Isso sem contar que comerciantes não querem obras para atrapalhar movimento no final do ano

O secretário de Agricultura e Abastecimento de Rio Preto, Pedro Pessuto, admite que a reforma do Mercadão Municipal, anunciada pelo prefeito Edinho Araújo para este ano, deve começar só no ano que vem. O atraso preocupa os donos de bancas por conta de rumores de que a reforma não sairia do papel. O secretário contesta e afirma que “apenas o calendário foi alterado”. A reforma seria feita com um montante de um fundo a ser criado com o dinheiro de proprietários que terão suas áreas colocadas no perímetro urbano. Ou seja, a obra seria bancada com dinheiro de particulares e dispensaria licitação. Mas isso não vai mais acontecer. A obra feita com dinheiro do Orçamento e vai custar cerca de R$ 5 milhões e, consequentemente, terá que ser licitada. Esse, segundo Pessunto, é o motivo do atraso do início das obras.

Ele acredita que o edital de concorrência pública pode ser publicado ainda neste mês. Mas diz que isso depende de outros setores da Prefeitura. A concorrência terá 120 dias para ser concluída.

Segundo o secretário municipal, quem vai decidir se ela começa esse ano são os permissionários. “Eles temem que a reforma pode atrapalhar as vendas do final do ano. Vamos mexer em toda a fiação, na rede hidráulica, em todo o telhado, padronizar as bancas, reformar dentro e fora”.

Para isso, informa que vai se reunir com os comerciantes do local para saber se começa este ano e para durante as festas de final de ano ou se eles decidem que ela vai ser feita no ano que vem.

Como ela está prevista para ser realizada em 12 meses, mesmo que comesse em 2019, ela só vai acabar no ano que vem. Após a reforma, os espaços que ficarem vagos serão licitados a outros permissionários que deverão atender a outras atividades comerciais. A secretaria da Agricultura é responsável pela administração do Mercadão.

Presidente da Associação tranquiliza comerciantes

José Alberto da Silva Alvino, o Zé Alberto, da barraca do Mel, e presidente da Associação dos Permissionários, diz que como a reforma do Mercadão vai começar do lado de fora, não vai atrapalhar as vendas de final de ano. “A sujeira, o barulho e os transtornos só serão notados no ano que vem quando a reforma estiver aqui dentro”, diz. Ele lembra que a reforma era para ser feita na administração passada e que tinha até o dinheiro para isso.

Pessuto diz, no entanto, que o dinheiro era proveniente de uma emenda parlamentar, mas que o Ministério responsável não fez o empenho e a verba não chegou.

Por Rubens Celso Cri em 15/08/2019 às 23:59
TerrasAlphaville