Redes Sociais

Política

Deputada Adriana Ventura visita Rio Preto para fiscalizar R$ 2,4 milhões em emendas

Foram R$ 2,43 milhões destinados à cidade de São José do Rio Preto em emendas, em três anos

Publicado há

em

Na próxima quarta-feira, dia 27 de julho, a deputada federal Adriana Ventura (NOVO-SP) visita São José do Rio Preto para fiscalizar a implementação das emendas destinadas à cidade durante seu mandato como parlamentar. Nesta visita, ela estará acompanhada de Rafa Bernardo, empresário e empreendedor rio-pretense noroeste paulista.

Foram R$ 2,43 milhões destinados à cidade de São José do Rio Preto em emendas, em três anos. Confira os valores e as instituições atendidas:

Associação Renascer

Valor: 151 mil (2022)

APAE de São José do Rio Preto

Valor: 200 mil (2022)

Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – Hospital de Base

Valor: R$ 680 mil (2021) e R$ 504 mil (2022)

Hospital Bezerra de Menezes

Valor: R$ 400 mil (2020) e R$ 500 mil (2022)

Formada em Administração Pública, a deputada Adriana Ventura é empreendedora, mestre e doutora pela FGV, onde é professora de gestão e empreendedorismo. Preside a Frente Ética contra a Corrupção e a Frente da Telessaúde e atua com destaque em pautas de saúde, educação, melhoria do ambiente de negócios e combate à corrupção.

Adriana Ventura é contra a utilização de dinheiro público em campanhas políticas. A parlamentar, assim como todos os demais integrantes do partido NOVO, devolveram todo o dinheiro relativo ao Fundo Eleitoral de 2022 aos cofres públicos no dia 1º de junho de 2022. O partido foi o único que abriu mão do dinheiro público para sua campanha. A deputada federal defende que cada brasileiro financie, quando e se bem entender, o partido e o candidato que mais lhe agradar.

 

“Nesse sistema eleitoral que vivemos hoje, todo mundo banca a campanha do PT sem ser petista, todo mundo banca a campanha do PL sem ser bolsonarista. Bancar todas as campanhas sem escolher é uma afronta à liberdade, uma interferência do Estado na política. Por isso defendemos um novo jeito de fazer política”, diz.

 

Adriana entende que os R$ 4,9 bilhões destinados ao fundo eleitoral, que serão gastos em material de campanha, poderiam ser mais bem aproveitados. “E pensar que essa montanha de dinheiro poderia ter outra finalidade, como, por exemplo, financiar Bolsa Família para 12 milhões de lares brasileiros; construir 245 mil salas de informática nas escolas Brasil afora; erguer 30 mil moradias populares; ou, ainda, bancar o programa de Combate à Fome por dez anos”, conclui.

 

AS 10 MAIS LIDAS