Redes Sociais

Cidades

Homem é preso minutos depois de furtar uma casa no Parque Industrial

Moradora já havia acionado a polícia quando outra viatura se deparou com o envolvido

Publicado há

em

Divulgação/Ilustrativa

Um possível morador de rua foi preso em flagrante nesta terça-feira (18) logo após furtar diversos objetos e semi joias em uma residência no Parque Industrial, em Rio Preto. De acordo com informações do boletim de ocorrência, a vítima já havia acionado a Polícia Militar, quando outra viatura em patrulhamento se deparou com o suspeito.

A ação aconteceu por volta de 10h35. Depois de arrombar a porta, quebrar vidros e danificar a parte de ferro, o suspeito (identificado depois com 26 anos) levou da casa dois capacetes, um ferro de passar roupa, 15 peças de bijuterias e semi joias (avaliadas em R$ 350) e uma sacola preta de lona (avaliada em R$ 30). Os policiais cruzaram com o envolvido em uma via do Jardim Paraíso. Como aparentava ser morador de rua e/ou andarilho, resolveram abordá-lo, já que os capacetes que carregava aparentavam ser novos.

O homem não portava nenhum documento e também não carregava nada de ilícito. Questionado sobre os objetos, respondeu “peguei em uma casa ali…”. Dentro da sacola estavam os demais objetos subtraídos da residência. Indagado novamente, respondeu “que havia pego na mesma casa”. Os policiais pediram então que ele indicasse o local dos furtos.

Assim que chegaram ao imóvel, já se depararam com a vítima, mulher de 40 anos, além de uma outra viatura, pois ela já havia acionado o 190. De pronto, reconheceu todos os objetos. Diante da confissão do envolvido, ele recebeu voz de prisão e levado para a delegacia. Os pertences foram todos devolvidos para a vítima.

No plantão, o delegado confirmou o estado flagrancial do crime e descobriu em pesquisa que o suspeito já tinha passagem anterior por crime da mesma natureza. Após realizar exame de corpo de delito e prestar depoimento, ele foi encaminhado para a carceragem da Deic, de Rio Preto, onde permanece preso e à disposição da Justiça. O BO não confirma se realmente se tratava de um morador de rua e/ou andarilho.

AS MAIS LIDAS